agosto 19, 2006

...

Desiludir e ser desiludido ... Sinal de maturidade? É possivel, mas dói muito... Em cada pessoa que magoamos, um pedaço de humanidade desvanece-se dentro de nós. Custa saber que traímos aqueles que mais amamos, custa ter que admitir que a culpa é nossa, custa olhar para trás e sentir que, possivelmente, deitamos por terra uma relação duradoura e da qual nos orgulhávamos. Pior que nos magoarmos é o sentimento de culpa que magoamos alguém cuja inexistência nas nossas vidas é estúpida e desprovida de sentido.

Ai se o arrependimento não servisse apenas como catalizador de lágrimas! Ai se ele pudesse restaurar a harmonia perdida! Mas este apenas faz emergir uma "chaga" que se posiciona junto de outras bem profundas e me relembra que em tudo pode existir e "há um fim". Infelizmente, não "é só mais um dia mau", este é o dia em que me "dei a provar o trago amargo da solidão".

De facto, hoje até posso sorrir por fora, mas por dentro é de lágrimas que sou composto.

3 comentários:

Maçã no Ar disse...

Caro poeta que não fingiu,
O arrependimento pode não restaurar a harmonia, mas a sua existência é de uma importância vital porque significa aprendizagem. Hoje não muda nada, amanhã pode mudar tudo e fazer toda a diferença, não para o caso original mas para outros. A vida não tem rascunho, mas tem vários episódios... Deixo-te com as reticências.

Xanusca disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Xanusca disse...

Jovem, a vida não é fácil... Mas aprende-se! ;) bao sorte